Brasil


02/12/2019

Trump acusa Brasil de desvalorizar real e anuncia tarifa sobre aço e alumínio

Bolsonaro e Trump apertam as mãos e sorriem em encontro no início do ano Direito de imagem Getty Images
Image caption Trump acusa Brasil e Argentina de desvalorizarem moeda para tirar vantagem do dólar forte

O texto foi atualizado às 13h40 desta segunda-feira (2).

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou na manhã desta segunda-feira (2) que o país vai retomar as tarifas aplicadas ao aço exportado pelo Brasil e pela Argentina. Ele atribuiu a decisão à desvalorização do real e do peso argentino em relação ao dólar.

"Brasil e Argentina estão promovendo desvalorização em massa de suas moedas, algo ruim para os nossos fazendeiros. Portanto, tendo efeito imediato, vou restaurar as tarifas sobre aço e alumínio que são importados aos Estados Unidos desses países", escreveu o mandatário americano no Twitter.

Trump também cobrou que o Banco Central dos Estados Unidos adote medidas para evitar que países "tirem vantagens de nosso dólar forte". "Isso torna as coisas muito difíceis para nossos fabricantes e fazendeiros exportarem seus bens", afirmou.

Horas depois de anunciar a medida, Trump foi questionado por jornalistas sobre a retaliação ao Brasil e à Argentina. "Se você olhar o que aconteceu com o câmbio deles, eles desvalorizaram o seu câmbio de modo substancial, em 10%. A Argentina também. Eu havia dado a eles um grande alívio tarifário, mas agora eu estou retirando isso. É muito injusto com a nossa indústria, é muito injusto com nossos fazendeiros. Nossas companhias de aço vão ficar muito felizes, nossos fazendeiros vão ficar muito felizes com o que eu fiz", respondeu.

O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, disse que primeiro vai conversar sobre o assunto com o ministro da Economia, Paulo Guedes, antes de se pronunciar sobre a decisão de Trump.

"Se for o caso, ligo para o Trump. Eu tenho um canal aberto com ele", disse o líder brasileiro.

Mais tarde, em nota, o Itamaraty afirmou que "já está em contato com interlocutores em Washington sobre o tema. O governo trabalhará para defender o interesse comercial brasileiro e assegurar a fluidez do comércio com os EUA, com vistas a ampliar o intercâmbio comercial e aprofundar o relacionamento bilateral, em benefício de ambos os países".

Atualmente, as taxas são de 0,9%, para o aço e 2% para o alumínio.

Trump escreveu que a medida teria "efeito imediato", mas não está claro se a sobretaxa dos produtos brasileiros adotada temporariamente no ano passado (25% sobre o aço e 10% sobre o alumínio) nem quando ela de fato passará a valer.

Dólar x real e peso

Setores exportadores do Brasil e da Argentina têm se beneficiado do câmbio favorável e da guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, ocupando espaços de produtos antes exportados por fazendeiros e empresários americanos.

Por outro lado, os EUA são os maiores compradores do aço produzido no Brasil, em um mercado que movimenta US$ 2,6 bilhões (ou R$ 8,6 bilhões).

Em rota ascedente, o dólar chegou a bater na semana passada em R$ 4,27, o maior valor nominal da história sobre o real.

Nas projeções do último boletim Focus, divulgado semanalmente pelo Banco Central com a projeção de economistas para os principais indicadores, a moeda americana fechará o ano de 2019 cotada a R$ 4,10 ? a projeção era de R$ 4 na semana anterior.

Segundo analistas, a alta do dólar sobre o real e o peso argentino (afetado pela derrota do presidente Mauricio Macri nas eleições) reflete a preocupação de investidores e gestores de recursos com as turbulências na América Latina, como os protestos no Chile e a incerteza política na Bolívia.

Direito de imagem Alan Santos/Presidência da República
Image caption Em foto de março de 2018, Bolsonaro assina livro de visitas da Casa Branca

Impacto no Brasil

Em março do ano passado, a possibilidade de uma eventual sobretaxa para o aço e o alumínio exportados pelo Brasil gerou pânico entre produtores brasileiros.

À época, em meio à guerra comercial com a China, o presidente americano anunciou alíquotas de 25% sobre o aço e de 10% sobre o alumínio comprados pelos EUA de outros países, mas deixou de lado Brasil, Argentina, Austrália, União Europeia e Coreia do Sul.

A tarifa, que agora será restaurada, chegou a valer por um tempo sobre o aço e o alumínio brasileiros, mas depois o governo americano concedeu um alívio com cotas aos produtos do Brasil.

Em 2018, o presidente americano buscava meios de reduzir o déficit de sua balança comercial e deu início à discussão, quando afirmou que a indústria do aço dos EUA teria sido "sitiada" durante décadas por concorrentes estrangeiros "que ganharam a vida tirando proveito" de leis de comércio desfavoráveis aos americanos.

Segundo Trump, a concorrência gerou demissões em massa e inundou os EUA com "aço barato".

No caso da China, por exemplo, o líder americano afirmou que o desenvolvimento da indústria exportadora se daria à custa de empregos que poderiam ser criados nos EUA, por empresas americanas.

Como resultado dessa ofensiva, Trump escreveu nesta segunda-feira que a sobretaxa adotada no ano passado, que mirava principalmente Rússia, Turquia e Japão, levou a uma alta de 21% das Bolsas americanas.

Por outro lado, para se diferenciar dos chineses, os brasileiros argumentam que a indústria brasileira compra produtos americanos produzidos a partir do aço exportado pelo Brasil, como carros, maquinário pesado e locomotivas, fazendo o dinheiro circular.

Atualmente, os principais produtos da pauta de exportações brasileira para o país são semimanufaturados de ferro e aço, petróleo, celulose e café. Juntos, esses produtos responderam por quase 30% dos embarques para os EUA em 2018, de acordo com os dados do Ministério da Economia referentes ao ano passado.

Do total das exportações, 6,8% foram aviões, refletindo a atuação ? e a importância ? da Embraer.

Entre os produtos que brasileiros importam dos americanos, pouco mais de 26% são combustíveis - óleo diesel e fuel-oil (18%), gás propano liquefeito (3,2%), gasolina (2,9%) e etanol (2,6%), levando em consideração os dados fechados de 2018.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!


Mais de Brasil

O que representam as fugas de presos ligados ao PCC no Paraguai e no Acre

O que representam as fugas de presos ligados ao PCC no Paraguai e no Acre

'Fui e continuo conservadora': o que pensa Regina Duarte, que fará 'teste' no governo Bolsonaro

'Fui e continuo conservadora': o que pensa Regina Duarte, que fará 'teste' no governo Bolsonaro

A trajetória de Regina Duarte na política, do 'estou com medo' ao convite para integrar governo Bolsonaro

A trajetória de Regina Duarte na política, do 'estou com medo' ao convite para integrar governo Bolsonaro

Da gráfica sem licitação às notas erradas, por que Enem não foi o 'melhor da história' como diz Weintraub

Da gráfica sem licitação às notas erradas, por que Enem não foi o 'melhor da história' como diz Weintraub

Por que o Paraguai é estratégico para o PCC?

Por que o Paraguai é estratégico para o PCC?

Com liberação para compra de 20 kg de pólvora por atirador, governo abre caminho para fábricas 'caseiras' de munição

Com liberação para compra de 20 kg de pólvora por atirador, governo abre caminho para fábricas 'caseiras' de munição

Fuga de cérebros: os doutores que preferiram deixar o Brasil para continuar pesquisas em outro país

Fuga de cérebros: os doutores que preferiram deixar o Brasil para continuar pesquisas em outro país

Caso Alvim é 'mais um gol contra' para imagem do Brasil no exterior, veem analistas

Caso Alvim é 'mais um gol contra' para imagem do Brasil no exterior, veem analistas

'Vamos questionar na Justiça programa cultural criado por Alvim', diz ex-ministro da Cultura

'Vamos questionar na Justiça programa cultural criado por Alvim', diz ex-ministro da Cultura

'Na Alemanha ele estaria preso': Vídeo de Alvim inspirado em Goebbels configura apologia ao nazismo, diz presidente da OAB

'Na Alemanha ele estaria preso': Vídeo de Alvim inspirado em Goebbels configura apologia ao nazismo, diz presidente da OAB

As polêmicas de Roberto Alvim, secretário de Bolsonaro que perdeu cargo após vídeo associado a nazismo

As polêmicas de Roberto Alvim, secretário de Bolsonaro que perdeu cargo após vídeo associado a nazismo

'Referência a Goebbels é impensável mesmo para extrema direita na Alemanha', diz historiador alemão

'Referência a Goebbels é impensável mesmo para extrema direita na Alemanha', diz historiador alemão

Após referência a Goebbels, secretário de Cultura Roberto Alvim diz que semelhança com discurso nazista foi 'coincidência retórica'

Após referência a Goebbels, secretário de Cultura Roberto Alvim diz que semelhança com discurso nazista foi 'coincidência retórica'

Bolsonaro promete corte, mas número de cargos e funções comissionadas não cai no 1º ano

Bolsonaro promete corte, mas número de cargos e funções comissionadas não cai no 1º ano

Caso Belorizontina: como distinguir uma intoxicação alimentar comum de algo mais grave?

Caso Belorizontina: como distinguir uma intoxicação alimentar comum de algo mais grave?

O que o Brasil perde e ganha se entrar na OCDE, o ?clube dos países ricos?

O que o Brasil perde e ganha se entrar na OCDE, o ?clube dos países ricos?

Por que o Brasil e o mundo querem um pedaço da Antártida?

Por que o Brasil e o mundo querem um pedaço da Antártida?

Como a proliferação de plantas aquáticas está ameaçando a vida no rio São Francisco

Como a proliferação de plantas aquáticas está ameaçando a vida no rio São Francisco

Moro precisa liderar 'resposta enérgica' à criminalidade na Amazônia, cobra Human Rights Watch

Moro precisa liderar 'resposta enérgica' à criminalidade na Amazônia, cobra Human Rights Watch

Setor mais abalado pela crise, construção volta a contratar depois de 5 anos

Setor mais abalado pela crise, construção volta a contratar depois de 5 anos

O que é a cartilha Caminho Suave, que alfabetizou milhões e caiu em desuso, mas mantém fãs como Bolsonaro

O que é a cartilha Caminho Suave, que alfabetizou milhões e caiu em desuso, mas mantém fãs como Bolsonaro

PIS/Pasep: quem tem direito a sacar o abono salarial e qual é o calendário de pagamento?

PIS/Pasep: quem tem direito a sacar o abono salarial e qual é o calendário de pagamento?

Como a 'MP da grilagem' pode mudar o mapa de regiões da Amazônia 

Como a 'MP da grilagem' pode mudar o mapa de regiões da Amazônia 

Democracia não garante queda da desigualdade, mas disparidade aumenta em ditaduras, diz vencedor do Prêmio Jabuti

Democracia não garante queda da desigualdade, mas disparidade aumenta em ditaduras, diz vencedor do Prêmio Jabuti

STF libera Netflix para exibir especial de Natal do Porta dos Fundos

STF libera Netflix para exibir especial de Natal do Porta dos Fundos

Porta dos Fundos: 'Não há dúvida de que é censura', diz relator para liberdade de expressão da OEA

Porta dos Fundos: 'Não há dúvida de que é censura', diz relator para liberdade de expressão da OEA

Por que Bolsonaro enfrentará um Congresso ainda mais poderoso em 2020

Por que Bolsonaro enfrentará um Congresso ainda mais poderoso em 2020

Quem é o juiz que suspendeu Porta dos Fundos na Netflix

Quem é o juiz que suspendeu Porta dos Fundos na Netflix

Os argumentos do juiz que mandou Netflix suspender especial de Natal do Porta dos Fundos

Os argumentos do juiz que mandou Netflix suspender especial de Natal do Porta dos Fundos

Por que não é correto comparar os incêndios na Amazônia aos que ocorrem na Austrália

Por que não é correto comparar os incêndios na Amazônia aos que ocorrem na Austrália

'Por que perdoei o homem que me roubou R$ 30 mil'

'Por que perdoei o homem que me roubou R$ 30 mil'

'Acreditei por muito tempo que era só eu': o silêncio de quem denuncia violência sexual cometida por médicos

'Acreditei por muito tempo que era só eu': o silêncio de quem denuncia violência sexual cometida por médicos